Catastrofes naturais

Tdo (ou quase) neste site sobre catástrofes naturais, criado por um grupo de alunos da turma 8ºD na EB 2,3 de Ponte-Guimarães, para a disciplina de A.P. Espero k gostem

terça-feira, outubro 03, 2006


Terramoto ou sismo (nome mais formal) é um fenómeno de vibração brusca e passageira da superfície da Terra, resultante de movimentos subterrâneos de placas rochosas, de actividade vulcânica, ou por deslocamentos de gases no interior da Terra, principalmente metano. O movimento é causado pela libertação rápida de grandes quantidades de energia na forma de ondas sísmicas.
A maior parte dos terramotos ocorrem nas fronteiras entre placas tectónicas, ou em falhas entre dois blocos rochosos. O comprimento de uma falha pode variar de alguns centímetros até milhares de quilómetros, como é o caso da falha de San Andreas(santo André) na Califórnia, Estados Unidos.
Entre os efeitos dos terramotos estão a vibração do solo, abertura de falhas, deslizamentos de terra, tsunamis, mudanças na rotação da Terra, além de efeitos prejudiciais em construções feitas pelo homem, resultando em perda de vidas, ferimentos e altos prejuízos financeiros e sociais (como o desabrigo de populações inteiras, facilitando a reprodução de doenças, fome, etc).
O maior terramoto já registado ao longo do tempo foi o Grande Terramoto do Chile em 1960 atingindo 9.5 na escala de Richter em seguida o da Indonésia em 2004 registando 9.3 na mesma escala.

Seca é um o fenómeno climático causado pela insuficiência de precipitação, ou chuva numa determinada região por um período de tempo muito grande.
Este fenómeno provoca desequilíbrios hidrológicos importantes. Normalmente a ocorrência da seca ultrapassa por um período de tempo a precipitação de chuvas.
A diminuição do volume de água no Mar de Aral é considerada um dos maiores desastres ambientais e humanos da história, que produziram uma situação de seca.


Uma inundação é o resultado de uma grande quantidade de chuva que não foi suficientemente absorvida por rios e outras formas de escoamento. Pode ou não resultar de uma cheia. Há dois tipos de inundação: a Inundação Fluvial, quando há uma grande precipitação, causando esta o transbordamento de rios, lagos, etc., e a Inundação de origem Marítima, que é causada por grandes ondas (tsunamis)



As expressões furacão e tufão são nomes regionais para ciclones tropicais de grande intensidade, que se formam em situações muito específicas que de seguida se apresentarão.
Este tipo de fenómenos é sempre devastador, embora com intensidades diferentes, e também assumem diferentes nomes de acordo com a área do Mundo em que se registam.
Assim, os ciclones tropicais que têm origem no Atlântico Norte, no Oceano Pacífico (Nordeste) e no Pacífico Sul, recebem o nome de furacões. Os que se geram no Pacífico Noroeste chamam-se tufões. No Pacífico Sudoeste e no Indico Sudeste são Ciclones Tropicais Severos. Por fim, no Oceano Índico Norte recebem o nome de Tempestade Ciclónica Severa e no Índico Sudoeste– Ciclone Tropical.
Condições favoráveis à ocorrência de Ciclones Tropicais:
1 – Águas oceânicas quentes (de pelo menos 26,5ºC) e com uma profundidade não inferior a 50m;
2 – Uma atmosfera que arrefeça rapidamente com a altura para que seja potencialmente instável;
3 – Camadas relativamente húmidas perto da média troposfera;
4 – Uma distância mínima de pelo menos 500Km da linha do Equador;
Outros…

Todos os ciclones tropicais recebem um nome diferente para facilitar a comunicação entre os técnicos e a população em geral, já que podem existir vários ciclones tropicais ao mesmo tempo no Mundo.

Os ciclones são fenómenos climáticos causados pelo encontro das massas de ar quente e fria. Apesar dessas massas de ar não se misturarem, quando chocam ocorre um movimento circular entre elas, já que o ar frio tende a descer e o ar quente tende a subir

A palavra tornado vem da palavra espanhola "tornada", que significa tempestade. Quando está sobre a água, o tornado é chamado de tromba d’água. Os tornados têm um diâmetro entre os 30 metros e os 2,5Km.
Geralmente não têm duração superior a uma hora e a velocidade de deslocação pode variar entre 1,5Km/h e 400Km/h.
Os tornados não têm um percurso linear nem regular.
A rotação do ar num tornado do Hemisfério Norte faz-se no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio. No Hemisfério Sul a rotação do ar efectua-se no sentido dos ponteiros do relógio.


Vulcão é uma estrutura geológica criada quando magma, gases e partículas quentes (como cinzas) escapam para a superfície terrestre. Eles ejectam altas quantidades de poeira e gases na atmosfera, podendo causar resfriamento climático temporário. São frequentemente considerados causadores de poluição natural. Tipicamente, os vulcões apresentam formato cónico e montanhoso.
A erupção de um vulcão é considerada um grave desastre natural, por vezes de consequências planetárias. Assim como outros desastres dessa natureza, são imprevisíveis e causam danos indiscriminados. Entre outras coisas, tendem a desvalorizar os imóveis localizados em suas vizinhanças, prejudicar o turismo e consumir a renda pública e privada em reconstruções. No nosso planeta os vulcões tendem a se formar junto das margens das placas continentais. No entanto existem excepções quando os vulcões ocorrem em zonas chamadas de hot spots (pontos quentes). Por outro lado, os arredores de vulcões, formados de lava resfriada, tendem a ser compostos de solos bastante férteis para a agricultura.
A palavra "Vulcão" deriva do nome do deus do fogo na mitologia romana Vulcano (e, em grego, Hefestos).
A ciência que estuda os vulcões designa-se por vulcanologia.

terça-feira, setembro 26, 2006